Tempo Rei…

5 mar

Hoje fazem dois anos que chegamos aqui, com quatro malas na mão, sem casa, sem passagem de volta e com sonhos do tamanho do mundo…poderia dizer que “passou num piscar de olhos” ou que “parece que foi ontem”, mas eu mesma fico confusa olhando para trás e vendo o tanto de coisas que aconteceram, se realmente esse tempo passou na velocidade de um piscar de olhos…

Esse tempo danado está sempre nos pregando peça. Os momentos que queremos eternizar, ele corre com a velocidade da luz; nos momentos sombrios, ele se arrasta que só e cada minuto parece uma eternidade…quanto mais prestamos atenção nele, ele não passa; se cochilamos por um minuto, ele voa…

Outro dia vi um vídeo chamado Timeless-London Timelapse, que começava com essa frase: ‎“Time is like a handful of sand – the tighter you grasp it, the faster it runs through your fingers” (Henry David Thoreau). Traduzindo grosseiramente seria mais ou menos assim: O tempo é como um punhado de areia – o quanto mais você o aperta, mais rápido ele escorre pelos seus dedos

E não é que é? Ele não pára, não pára não…

Dessa janela, uma Londres desconhecida foi imaginada e um futuro por vir, vislumbrado...

Anúncios

7 Respostas to “Tempo Rei…”

  1. Fe março 5, 2012 às 11:32 pm #

    Rhani querida, adoro seus textos. São sempre carregados de muita emoção. Sobre o tempo, sinto quando olho no espelho ou revejo meus pensamentos como ele passa rápido. É inevitável =/

  2. Suzana Huguenin março 5, 2012 às 11:57 pm #

    E isso aí Rhani, como diria Cazuza: “Não há promessas não. É só um novo lugar. Viver é bom nas curvas da estrada…”

  3. Rafa março 7, 2012 às 11:11 am #

    Linda!
    2 anos?!? Quem diria que eu iria aguentar tanto tempo longe de você. Graças a Deus, o ser humano tem um grande poder de adaptação. rsssssssss
    Há também uma canção do Caetano sobre o tempo que é bem bonita. Se chama oração ao tempo. Dê uma olhadinha depois. t amo!
    bjos,

  4. Celso de Lanteuil março 8, 2012 às 10:06 am #

    O TEMPO
    Celso de Lanteuil
    Para musicar
    Algum lugar entre Delhi e Jeddah
    25/11/2011

    O ouro do tempo escorre pelas mãos
    O ouro do tempo escorre pelas mãos

    Ontem foi hoje
    Hoje foi amanhã
    Amanhã é agora
    Agora já passou

    Fraldas
    Engatinhar
    Entender

    O ouro do tempo escorre pelas mãos
    O ouro do tempo escorre pelas mãos

    Escola, brincar
    Descobrir
    A hora que passa bem devagar

    Planos
    Acertos, enganos
    Encontros, despedidas

    O ouro do tempo escorre pelas mãos
    O ouro do tempo escorre pelas mãos

    Ontem foi hoje
    Hoje foi amanhã
    Amanhã é agora
    Agora já passou

    Filhos
    Marcas no olhar
    As horas não param de avançar

    Nas fotos
    Espelhos e joelhos
    Nos medos e jeito de olhar

    O ouro do tempo escorre pelas mãos
    E eu quero mais, e eu quero mais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: