Welcome Day: surpresas e estranhamentos!

16 set

Ontem foi o “welcome day” para os estudantes internacionais na universidade. Quase não fui, pois na programação que recebi, a maioria das informações eram voltadas para a vida no Reino Unido e todas as burocracias necessárias para a vida prática como, por exemplo, o funcionamento do sistema de transporte, o de saúde, detalhes sobre o visto de estudante (aqui estudante pode trabalhar até 20 horas, mas há algumas regras).

Enfim, como já moro aqui há algum tempo, estava inclinada a não ir e deixar para “começar os trabalhos” só na semana que vem, quando de fato meu programa de mestrado começa. Mas como uma parte desse “welcome” envolvia explicações sobre o laboratório de informática, biblioteca, tour pelo campus, decidi ir para não ficar completamente perdida na próxima semana.

E não é que foi legal? O evento foi muito bem organizado, com direito a almoço e vários estandes dando auxílios aos estudantes. Havia estande da polícia, do sistema de saúde, de bancos, academia. Fomos divididos em grupos e tudo ocorreu pontualmente.

E a surpresa foi saber que o meu campus é super histórico. Lá nasceu Henrique VIII e Elizabeth I, há uma capela maravilhosa e um “painted hall” de cair o queixo. E o dia estava ensolarado e o campus fica entre o Tâmisa e o parque de Greenwich, ou seja, para todo lado que se olha se tem uma bela vista. Mas depois farei um post dedicado à história do Campus, que ouvi no tour…

Mas o que mais me impressionou não foram as palestras sobre como encontrar emprego, abrir conta ou etc. Foi receber uma espécie de cartilha explicando os costumes ingleses. A princípio achei estranhíssimo, mas depois no desenrolar da fala das duas inglesas, me dei conta do quanto isso sim é necessário. É gente do mundo inteiro mesmo (Mauritânia, China, Malásia, Nepal, Paquistão, Irã), com uma cultura tão diferente que os hábitos ocidentais podem parecer bem mais estranhos do que para mim, que embora estrangeira também, venho de uma cultura ocidental e cristã.

Compartilho, então, o guia que recebi sobre como viver no Reino Unido, pois achei realmente estranho, engraçado e me fez pensar pra caramba o quanto estamos sempre tentando aprisionar existências tão diversas em imagens fechadas e estereotipadas como forma de dar conta do novo e do desconhecido. Vamos lá:

1. Os britânicos são reservados e tímidos e, por isso, eles não conversam com estranhos enquanto fazem compras ou nos transportes. Isso, de forma alguma, é pessoal! Não tente forçar essa conversa, pois será inconveniente…

2. Os britânicos são pontuais e é muito feio chegar atrasado por essas bandas (na verdade, a pontualidade não é tão britânica aqui não, mas com certeza aqueles atrasos homéricos dos brasileiros é mal visto. Ninguém vai esperar tanto tempo por você. A pontualidade é algo que conta sim e eles estão sempre tentando seguir essa regra)

3. Esse ponto foi o melhor para mim, sobre o toque: os britânicos não tem o hábito de se tocar durante uma conversa, e eles podem interpretar esse toque como algo agressivo ou muito emocional (?). Agora vou até colocar em inglês para ficar mais fiel o relato: “It may be usual for you to stand close to another person while in conversation. In the UK people usually maintain a distance of 60-110 cm, so do not be surprised if Bristish people move away from you when talking! Kissing and embraces are not usual in the UK on a first meeting”. hahahah…o melhor é a distância sugerida, de 60-110 cm…da onde tiraram isso?

4. Quando estiver falando com alguém, faça contato visual (em alguns países não se encara pessoa mais velha ou autoridades em sinal de respeito!). Entretanto, não é comum fazer contato visual com estranhos, como por exemplo no metrô. (e é verdade mesmo, as pessoas estão sempre com um jornal ou livro na cara para evitar esse “constrangimento”  imposto pelo olhar)

5. No Reino Unido, mulheres e homens tem os mesmos direitos e oportunidades;

6. Os britânicos usam a frase “Will you come for a coffee?” para convidar para um papo. Não necessariamente você precisar tomar café, pode ser um chá ou um suco. É recomendável que se vá nesse primeiro convite, a não ser que tenha um motivo de força maior pois, caso contrário, poderá ser interpretado como um “não” e você não será importunado numa próxima vez;

7. Fila é um hábito respeitado e quebrá-lo é considerado ofensa. (assim que cheguei vi um postal que sacaneava essa obsessão por filas. Era um inglês atrás de um poste formando a fila, mesmo não havendo ninguém no entorno…hahah)

8. Não tenha vergonha de dizer não. No Reino Unido dizer “não” não é falta de educação. Os britânicos prezam isso, pois só assim saberão exatamente o que você quer. (o pior que é isso mesmo. Há uma naturalidade em dizer não e não há desconforto algum nisso. Isso eu invejo mesmo!)

9. Não se choque se você ver britânicos cristãos bebendo. Não julgue e lembre que o pensamento aqui é outro.

10. O Reino Unido não é um país cristão praticante. Então há muitas pessoas diferentes vivendo da sua forma. Você ficará surpreso, mas é normal. (adorei essa!)

11. Se alguém te convidar para um jantar, vá preparado para pagar a sua parte. Aqui o hábito é esse e não aquele de quem convida paga.

Fiquei pensando “será possível mesmo criar um manual sobre toda uma população, que tem as suas particularidades e colocar tudo no mesmo saco?”. Com certeza não! Aposto que se eu lesse um manual sobre como são os brasileiros iria morrer de rir com as muitas baboseiras. Mas é fato que há algo sim que atravessa todos aqueles que fazem parte de uma mesma cultura, embora fique caricato quando escrito ou citado como verdade absoluta.

Fiquei imaginando que o nosso manual poderia ser exatamente o oposto: 1) Se alguém te convidar para jantar em casa, por favor, não chegue na hora. Provavelmente você será o primeiro e, no melhor das hipóteses, a pessoa estará no banho; 2) Se alguém te falar “Vamos nos falar, vamos nos falando…”, não espere nenhum telefonema ou contato do tipo. Essa tipo de frase significa “a gente se esbarra por aí, não precisamos forçar um encontro, vamos deixar para o acaso…”; 3) Não estranhe, se quando apresentado a alguém, em ser beijado e abraçado no primeiro contato. Esse é, em geral, o primeiro contato. Se beija e abraça e depois se conhece…hahaha…parece natural o nosso comportamento, mas não é e com tantos estrangeiros na cidade e na universidade, provavelmente surgiu a necessidade de dar um suporte, de reunir informações para atenuar o choque cultural que é para alguns quando se chega aqui…

Bem, voltando. Depois de passar por duas universidades públicas, não pude não me impressionar com o laboratório de informática! Uau…quanta organização, quantos computadores! E, também, é claro, não pude deixar de rir do pragmatismo em excesso dos britânicos na biblioteca, onde o carpete muda de cor para sinalizar zonas de silêncio absoluto e zonas mais flexíveis…hahaha.

Outra coisa que achei muito legal foi o suporte religioso. Há um grupo dedicado a te ajudar a achar locais para que você possa praticar a sua religião, seja ela qual for. Eles pesquisam os locais mais próximos da sua moradia, universidade e trabalho e te dão todo o suporte nesse sentido.

Bem, chega que esse post ficou giga. No fim das contas foi muito bom ter ido e ver como eles são preparados para receber os alunos de outros países. Até porque com uma população de 40% de estrangeiros, acho que não poderia ser diferente…

Greenwich University

Anúncios

8 Respostas to “Welcome Day: surpresas e estranhamentos!”

  1. Marcelle setembro 18, 2011 às 3:16 pm #

    Querida, adorei esse seu post.. não faço ideia de qual será a sua linha de pesquisa aí no mestrado, não entendo nada de psicologia…hehehe… mas acredito que falar sobre essas diferenças culturais renderia muita pesquisa aí para vc, né?

  2. Rafa setembro 18, 2011 às 3:49 pm #

    Querida,
    Só os ingleses para montar um manual de “como seria um inglês”. Sua ideia de escrever um manual de como são os brasileiros é ótima, inclusive, rende até um livro, desses bem cômicos!rsssssssss
    Lembrei do Fabio tocando numa senhora para pedir desculpas, e a senhora quase correu dele! hahahahahaha Como é fascinante essa diversidade cultural!
    Tenha um ótimo início de aulas!
    t amo.

    bjos,

    Rafa

    • desconstruindorhani setembro 18, 2011 às 4:14 pm #

      Não sabia que Fabio tinha feito isso! hahahaha…posso imaginar a cena! Tsc, tsc, ele não leu o manual antes de vir…rs! Te amo gatona!

  3. Fátima de Lanteuil setembro 20, 2011 às 5:02 pm #

    É isso aí Rhani, vamos em frente dar um show neste mestrado. Você tem tudo para brilhar! Parabéns e bom curso!
    Em tempo, o campus da Greenwich é realmente divino. Adorei a visita que fizemos a ele. A capela e o Painted Hall são maravilhosos e você terá muito o que descobrir…
    Um beijão e saudades…

  4. Lilian setembro 22, 2011 às 12:46 am #

    Rhani, querida,

    tudo bem no mestrado?
    continuo adorando ler seus comentários no blog.
    São muito interessantes.
    Espero que com os novos estudos você não pare de escrevê-los.
    bjs

    Lilian

    • desconstruindorhani setembro 22, 2011 às 8:04 am #

      Obrigada Lilian! Não pretendo parar não, vou tentar sempre postar, pode deixar!Beijão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: